no meio de tudo há uma dor
um buraco negro sem fundo
que suga tudo ao redor
engole, mastiga, escurece
em toda a minha vida
nunca havia visto uma saída
hoje eu vejo a poesia

Elisa Bartlett

(Fonte: oxigenio-dapalavra, via oxigenio-dapalavra)